Páginas

31 de maio de 2015

não és poeta mas és poesia, entranhada nas linhas débeis da inocência outrora vivida.

Sem comentários:

Enviar um comentário