Páginas

14 de julho de 2015

triste é o olhar vazio que contemplo,
a alma morta que se arrasta ao comprido,
triste é o toque que fica por ser dado,
o beijo por ser trocado.

triste é a vontade de abraçar precocemente,
triste é querer e não poder
quando se pôde e não se deu,

triste é o rasgar do dia nublado
arrastado por mais uma lírica desmedida
repetidamente mantida e escoltada

triste é o amor que se tem e não se dá
não porque não se quer mas porque não é correcto.

desmedida é a contemplação de uma vontade embriagada pelo que se sente mas não se diz

e eu,
eu não serei de mais ninguém

Sem comentários:

Enviar um comentário