Páginas

9 de novembro de 2015

see you soon

Estou aqui sentada no meu voo até casa. Não sei quando voltarei a fazê-lo e a sensação é boa.
 Em breve regresso para onde sinto que pertenço e deixo novamente o meu pedacinho de paraíso. 
Não encontro muita inspiraçao ao proferir estas palavras mas sinto-me bem. sinto que será um novo ponto de viragem na minha vida.
É preciso acreditar que desistir é ma palavra que não pode ou não deve existir no nosso dicionário se não para nos lembrar que ser forte tem de ser a nossa única vontade, sair da zona de conforto custa. ver a bolha aproximar-se e saber que mal nos toque num fio de cabelo ela rebenta... mas e então? devemo-nos permitir ousar, porque é isso que nos faz evoluir e saber que o amanha pode mesmo ser diferente de hoje.
há 1 ano eu estava a acabar a minha licenciatura e a preparar-me psicologicamente para o tanque de tubaroes que via aproximar-se.
acontece que, como em tudo na minha vida, o planeado nao aconteceu.
Fiquei triste? Claro que sim. Se estaria melhor agora? Talvez não.
Permiti a mim mesma fugir ao que a sociedade preconiza e desisti de procurar na área. Errado ou não, demorei 1 ano para encontrar uma casa ue me acolheu como nunca antes achei que podia acontecer. 
durante os 5 meses seguintes descobri uma familia que sempre me incentivou a não desistir dos meus sonhos..
hoje...hoje eu estou de volta a casa e amanhã regresso ao trabalho. A partir de amanhã entro em contagem decrescente para a realização do meu sonho.
A partir de amanhã comecarei aos poucos, mesmo sem querer, a despedir-me daquilo que foi a minha vida durante aproximadamente 365 dias. Amigos, família e mais família, porque o que são os amigos quando os tratamos como sangue do nosso sangue? Um ano pode mudar uma vida, e acreditem, a minha deu uma volta de 360º. No final, há sempre lições mas há também muita saudade. 
Aliás, para mim, a pior forma de ficar na ilha é saindo dela. 
Aqui sentada, enquanto olho ao meu redor e ouço a minha musiquinha, aperceb-me que todas as pequenas coisas dizem-nos coisas diferentes todas as vezes. E eu mal posso esperar para começar mais uma etapa da minha vida, junto dos que gostam de mim e me querem bem (mesmo aqueles que ficam do outro lado do oceano).
É tão bom sentir que o nosso esforço é recompensado, ainda mais quando os planos não são os que imaginávamos.
Se imaginava a minha vida assim? Nunca mais acreditei que podia concretizar o meu sonho... 
guess what? 
i made it.. 
Apenas arriscando. E nao poderia estar mais feliz. 
Há realmente coisas que não acontecem por acaso...

Obrigada! Já era tempo de boas notícias...

Até já Açores, 
Até já Mãe.. Eu volto, Prometo.

Até já, Amor. 

Sem comentários:

Enviar um comentário